Total de visualizações de página

17/01/2011

O RESPEITO AS CRENÇAS




Respeitar as crenças e opinião das pessoas é um dom que todo integrante desta Nova Era, deve seguir, sem deixar de afirmar o que acha certo e mesmo mostrando também seu Ponto de vista, não entrar em discursão.

É pura ilusão comparar Religiões, Seitas e Crenças, são caminhos secundários e necessários para se chegar a Fé no Coração.

Devemos acreditar na Ação das Energias em nosso Planeta, devido a Elas estamos nesta Nova Era, Era de Mudanças Cíclicas onde Muita Coisa vai Acontecer e todas com um Redirecionamento Específico - A EVOLUÇÃO DA TERRA E DE NOSSA HUMANIDADE PARA A 5ª DIMENSÃO.

Como nos foi dado duas importantes Leis a do Livre Arbítrio e do Karma para se fazer as Escolhas, e com isso provar que temos a capacidade de Evoluir e saber que iremos assumir e pagar os Karmas com a Ação do Amor ou da Dor.


Infeliz daquele que ainda não acredita na ação da força dessas Energias, pois agora ainda poderá evitar muitas dessas  ações com a Força Vital da Juventude, mas, isso significa geralmente, adiar a manifestação delas para quando estiver mais velho.

Geralmente trabalhos feitos na Linha da Umbanda e do Candomblé e outros, levam um tempo pré-determinado para a Entidade envolvida vir receber.

Hoje ainda ficamos admirados como tem gente que não respeita a crença de outras pessoas, mesmo quando tentam fazer o Bem. Como na História que vou relatar:

Havia um homem de Minas Gerais que quando jovem, ele e mais três outros amigos ao saírem de uma festa, numa encruzilhada, havia um trabalho recentemente deitado, que tinha sido oferecido para curar a ferida na perna de uma outra pessoa e A Entidade envolvida ainda não tinha recebido.


Os quatro chutaram as velas do trabalho, comeram as partes da galinha frita, beberam a champanhe e as cervejas, derramaram o restante chutando e espalhando o que sobrou alí.


Esse homem na época tinha 18 anos. Sua perna começou a coçar e era uma coceira que o angustiava. Isso virou numa ferida na perna que o impediu de Servir ao Exército.


Como ele era uma pessoa rica, procurou os melhores médicos e tratamentos e a ferida só aumentava.


15 anos depois ele já não podia dirigir nem andar com aquela ferida na perna. Como ele era uma pessoa de posses e queria comprar  um carro novo para ele, que agora era levado por um motorista contratado para dirigir seu carro.


Ele tinha um grande amigo que lhe contava sempre histórias de uma Vidente de Ponta Grossa-PR, pois quando ele queria alguma coisa pedia a essa Vidente Orientações. E sempre dava certo as Orientações que recebia.


Como esse amigo iria comprar também um carro em São Paulo-SP, e pretendia conversar com a Vidente antes dessa compra, ele  se interessou e pediu para ir junto e com o intuito de falar ou se consultar com Ela sobre sua perna, em Ponta Grossa-PR. De lá ele voltaria de avião para Minas.


Foram se consultar com a Vidente. O amigo tinha marcado a consulta, entrou primeiro sozinho e o Sr. de Minas e da ferida ficou no carro.


Na consulta do amigo a Vidente falou que ele iria gostar de 3 carros, dois vermelhos e um branco. Era para ele ficar e comprar o segundo carro Vermelho.


Então esse amigo falou que trouxe com ele outra pessoa que queria se consultar com ela. Ela disse que já sabia e tinha visto os dois chegarem.


Mandou que o amigo dele entrasse, mais deixasse os acompanhantes lá fora, pois queria falar apenas com ele.O amigo dele disse que ele não podia andar. E a Vidente falou: ele pode e virá!


O homem entrou com muita dificuldade, sentou-se, e a Vidente lembrou a ele o que aconteceu na madrugada em que ele chutou e comeu de um trabalho numa encruzilhada. E disse mais, como ele tinha Mediunidade ele pegou a Vingança da Entidade.


Explicou que agora o que ele tinha que fazer era Pedir Perdão a Entidade, refazer o Trabalho como foi feito e deitar numa Encruzilhada. 


Como a Vidente teve uma Visão detalhada de como estava posto o trabalho, disse para ele que hoje o Sr. ficará aqui para de madrugada irmos deitar esse trabalho numa encruzilhada.  


Assim fizeram e a Vidente disse para ele, da próxima vez que vier aqui, virá dirigindo seu próprio carro e andando normalmente.


Três meses depois, o homem de Minas voltou lá dirigindo seu próprio carro e andando normalmente para agradecer.


Essa Vidente era tia de minha Mestra Terrena, ela também era Médium de Um Grande Ser de Luz, nascido no Paraná,  que viveu o final do século 18 e Início do século 19, um grande médico e político - Dr. Leocadio José Correia.


Tive oportunidade de falar com ela, como Espírito em Elevação, num trabalho com minha Mestra.    

Muita Luz...
Ivaldo(Esotérico)




Nenhum comentário:

Postar um comentário